Dicas de Finanças para Casais

livre-se das dívidas e realize seus sonhosMais de 40% das brigas em casal deve-se a problemas financeiros. É comum estar tudo bem quando não há dívidas, mas quando o assunto é economizar dinheiro ou fazer o planejamento financeiro para sair do vermelho, quando um dos cônjuges é gastador, isso pode ser motivos para mais brigas.

Em livros sobre Finanças para Casais, você poderá ler várias dicas sendo que quase todos falam o mesmo: o casal deve saber qual o seu perfil financeiro. Mas o que é isso?

Se os dois tem hábito de poupar, então podemos dizer que ambos tem o perfil de poupadores, se um dos cônjuges tem por hábito gastar sem ter a mínima noção por meio de um controle financeiro, e o outro não, então teremos um perfil com um gastador e o outro poupador, etc.

Mas por que estou falando isso? Por que o mais poupador deverá ajudar o menos poupador até que este também aprenda ou até mesmo aumente seu interesse em conhecer mais sobre as finanças da família.

Cuidado com o excesso! Como não podemos gastar muito, temos que ter cuidados para não economizar dinheiro em excesso.

Um exemplo que gosto de contar de um casal que já passava dos 30 anos de casamento. Ele gostava guardar dinheiro e ela pesquisava um pouco e não era gastadora, mas gostava de passear.

Ambos já tinham filhos casados e que não morava mais com eles. Por isso, já não tinha mais despesas com filhos. Ela dizia que agora era hora para curtirem um pouco mais a vida e ele dizia que ainda não era o momento, pois tinha que guardar mais dinheiro.

E isso durou mais um bom tempo e quando ela alcançou a idade na faixa dos 50 e poucos anos, começou a ter perdas de memória. Posteriormente descobriu-se que tinha Alzheimer já em estágio pouco avançado.

Ele se arrependeu de economizar dinheiro por tantos anos de uma forma exagerada, pois tinha regras rígidas, pois tinha que cumprir algumas metas. Mas um tempo depois ele dizia: “Guardei tanto dinheiro para viajarmos juntos e passearmos… esperei tanto tempo para isso e ela ficou doente e não fizemos isso juntos”.

A mensagem dessa história é que recentemente recordei desse fato, quando li um artigo do prof. Gustavo Cerbasi em que ele enfatiza o equilíbrio financeiro também associado a vida familiar. Ou seja, nem gastos em excesso e nem economizar em excesso!

Algumas Dicas de Finanças para Casais

casamento e finanças pessoais

1 – Desenvolva o hábito de ler sobre o assunto

Leia sobre o assunto Finanças para Casais. Compre livros e estude sobre o assunto. Conheça mais sobre finanças pessoais, realize cursos, se desejar. Desenvolva hábitos saudáveis se ainda não tem por costume avaliar antes de adquirir algo.

Se já conhece sobre o assunto, coloque em prática, pois estará dando um bom exemplo ao seu parceiro(a). Além disso, verá até que outras pessoas começarão a procurar você para tirar dúvidas de como economizar ou até mesmo como sair das dívidas.

Uma vez um professor disse: “não existem pessoas burras, existem pessoas desinteressadas em aprender”.

2 – Discuta sobre Finanças com seu Cônjuge

dicas de finanças para casais

Discuta de uma forma descontraída e realize planos para economizar, dentro de um prazo combinado, para que possam comemorar o trabalho em conjunto.

Por exemplo, passaram o ano inteiro para economizar e atingir uma meta, e combinaram antecipadamente que uma pequena parcela seria utilizada para fazerem uma viagem para o exterior. Se sempre economizarem sem retorno algum, é comum um dos cônjuges desanimar nessa tarefa conjunta.

Na empresa em que trabalha não há uma reunião mensal ou semanal para saber o andamento do projeto? Então, no ambiente familiar é o mesmo. Busque reunir com a família para discutirem as metas para os prazos combinados.

3 – Reorganize as dívidas do casal

É essencial a transparência nas receitas e despesas mensais. Há casais onde um não sabe o quanto o outro ganha. Isso somente tornará mais difícil o controle financeiro familiar. Normalmente quem ganha mais paga as maiores contas e quem ganha menos as menores contas. Realize o controle da maneira mais adequada a ambos, mas no final das contas, ele deve retratar o conjunto das despesas e receitas familiares.

Quando um dos cônjuges for o responsável pelas dívidas, não adianta chorar o leite derramado. Unam-se e proponham medidas para resolver o problema. É claro que o casal deve conversar e tentar buscar também resolver a origem do problema, para evitar novas despesas, mas deve se preocupar também com o pagamento das dívidas.

Então, estude, pratique, proponha sempre o diálogo com seu cônjuge e se esforce para não fazer parte dessa estatística.

Conheça o e-book do Guarde Dinheiro: Livre-se das Dívidas e Realize seus Sonhos. Neste e-book aprenderá a reorganizar as finanças pessoais e também contará com um bônus sensacional!

O que achou do artigo? Deixe seus comentários.

Até breve!

Fonte: Imagem Pixabay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − onze =