O que é Poder de Compra?

livre-se das dívidas e realize seus sonhosIntuitivamente alguns devem saber a explicação para a expressão muito usada e principalmente hoje em dia: poder de compra.

A explicação mais comum e simples é o quanto que uma unidade de uma moeda poderá ser usada para adquirir bens e serviços. Uma medida comum para explicar um pouco mais sobre isso é a inflação.

Até as pessoas com pouquíssimo conhecimento sobre economia, como entendem que estão perdendo poder de compra?

Quando começam a ver que com o mesmo salário, já não compram mais os mesmos itens. Assim, já entendem que houve uma perda no poder de compra, ou poder aquisitivo, devido ao processo inflacionário.

Mas por que hoje em dia se fala muito sobre isso? Por que antigamente a inflação era bem mais alta e as variações que ocorriam já eram habituais.

Hoje em dia não estamos mais habituados com inflação alta e também com variações altas, por que aumentos de 8% para 10% por exemplo, são aumentos percentuais altos.

Poder de Compra

poder aquisitivo

Mas será que sempre que houver aumento de preços em supermercado, por exemplo, podemos afirmar que houve uma queda do poder aquisitivo? Não necessariamente. Porém, há situações que é possível avaliar sim a redução do poder de compra de uma forma mais clara, como na situação de um desemprego, por exemplo.

Pode-se avaliar o poder de compra de uma forma mais básica, e não tanto complexa, quando você avalia que, por exemplo, no ano anterior houve uma inflação de x%, mas se seu salário teve uma aumento em termos percentuais maiores que esses x% pode se chegar a uma conclusão que não ocorreu uma redução do seu poder de compra. Tudo vai depender dos seus tipos de gastos pessoais e quanto realmente variou esse preços e qual foi a variação dos seus rendimentos mensais.

Uma forma mais detalhada para avaliar esses números é por meio da planilha financeira. Se realmente controla suas receitas e despesas poderá ver mês a mês estas variações. Claro que os rendimentos serão os itens mais fáceis para acompanhar, mas nos gastos talvez tenha um pouco mais de dificuldades, nas contas relativas a supermercado. Talvez em gastos de combustível, salão de beleza, escola, e demais despesas seja mais fácil.

Quando se observa aumentos de serviços de utilidade pública diversas vezes durante o ano, por exemplo, e não se observa aumentos na mesma proporção no salário mínimo, pode-se inferir em uma perda do poder aquisitivo daqueles que recebem um salário-mínimo todo mês.

Mas por que estou falando isso? Por que a queda no poder aquisitivo da população é uma medida para explicar os aumentos da inadimplência.

Leia: Qual a origem da indimplência?

Então, mais um motivo para sempre ter como meta o controle financeiro familiar, reorganizando as dívidas e consequentemente montando sua reserva financeira para períodos com diminuição do poder aquisitivo.

O que achou do artigo? Deixe seus comentários.

Até breve!

Fonte: Imagem Pixabay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =