O que é tesouro direto?

Devido ao cenário atual de nossa economia, alguns perguntam se realmente é interessante investir em títulos da dívida pública, por isso escrevi este artigo com alguns conhecimentos mais básicos que estará ao alcance de todos.

O que é tesouro direto?

O tesouro direto surgiu em 2002 como uma alternativa para ampliar o acesso dos títulos públicos a uma maior parcela da população e por meio da Internet. Anteriormente uma pessoa física somente poderia comprar títulos por intermédio de algum fundo de renda fixa. No site do Tesouro Nacional poderá ampliar seu conhecimento sobre este assunto.

Mas você pode estar se perguntando…

O que são títulos públicos?

Os títulos públicos são na realidade uma forma que o governo federal recorre para o financiamento da dívida pública. Vamos entender da seguinte forma: o governo está pegando um empréstimo com a população quando emite títulos da dívida pública (também conhecido como títulos do governo federal).

Operação de Open Market é uma forma de política monetária. Onde ocorre a compra e venda de títulos da dívida pública pelo Banco Central.

Neste caso, quando há necessidade de retirar moeda de circulação, compra-se os títulos da dívida pública em poder da população (aumenta a taxa de juros) e quando deseja aumentar a quantidade de moeda faz-se o processo inverso.

Cadastramento

Se você planeja investir em títulos da dívida pública por meio do Tesouro Direto é necessário que realize seu cadastramento primeiramente em uma instituição financeira que tenha habilitação para atuar com esse tipo de operação.

Na opção Cadastramento para Compra de Títulos Públicos no Tesouro Direto poderá ler mais informações a este respeito.

Tipos de Rentabilidade

Há diferentes tipos de rentabilidade do tesouro direto.

Inicialmente é necessário entender que os títulos públicos se dividem em pré-fixados e pós-fixados.

Os títulos pré-fixados são remunerações de títulos já acordados no momento da compra e com base na taxa básica da economia. Normalmente opta-se por esse tipo de rentabilidade quando uma pessoa espera que a rentabilidade do título será maior que essa taxa básica da economia. Você poderá calcular valores para as rentabilidades, usando o simulador do tesouro direto.

No caso dos pós-fixados estão atrelados aos títulos com base na variação da inflação e da SELIC.

Um exemplo para ficar bem claro o entendimento pode ser visualizado nesta tabela.

Riscos

Uma pergunta muito comum: “é seguro investir no tesouro direto?” Na realidade essa é uma preocupação não só sua, mas de muitas pessoas também, e isso se deve a possibilidade de existir um risco do não pagamento dos títulos da dívida em pública, devido a conjuntura atual do país.

Na realidade, o que é quase consenso entre analistas é que antes de qualquer pessoa tomar algum calote, devido ao governo não honrar com o pagamento dos seus títulos da dívida pública, antes certamente muitas instituições financeiras já estarão quebradas.

Por isso, que mesmo com o país em recessão analistas ainda afirmam que é o melhor investimento de baixo risco no país.

Cuidado com algumas informações que nem todos sabem a este respeito, pois diferentemente de alguns investimentos em renda fixa, os títulos do tesouro direto não estão protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito que hoje é no valor de R$ 250.000,00.

O Fundo Garantidor de Crédito, como já é de conhecimento de algumas pessoas, trata-se de uma garantia de que se o credor não horar suas dívidas, até o valor máximo acima, você estará protegido e ainda sim terá direito a este valor.

Os riscos de mercados envolvidos nessa transação estão mais relacionados aos casos em que precisa resgatar antes do prazo , pois estará sujeito ao preço do título no momento que poderá variar com os juros atuais no mercado.

Por exemplo, se comprou títulos para sua aposentadoria e o prazo para resgate é daqui a 10 anos, o correto é aguardar o prazo.

O que acontece na maioria dos casos é o contrário, pois a pessoa disponibiliza uma quantia para um prazo e mesmo sem precisar devido a qualquer adversidade no mercado, já corre para vender os títulos e na maioria dos casos perde grande parte da sua rentabilidade.

Outro risco que deve ser avaliado é o risco de fraudes. Por isso, verifique a reputação da instituição financeira que você irá trabalhar.

Não deixe de ler também para conhecer mais sobre o assunto as Regras do Tesouro Direto.

Aproveite também para realizar o questionário do Orientador Financeiro, no site do Tesouro Direto, que ajudará a entender qual o título mais adequado as suas necessidades.

O que eu recomendo nesse caso a todos os leitores é que estude bastante, até se sentir mais seguro antes de começar a investir em títulos da dívida pública.

Assista também o vídeo Como Investir no Tesouro Direto com Leandro Sierra.

O que achou do artigo? Deixe seu comentário.

Até breve!

Fonte: Imagem Pixabay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 12 =