Previdência Privada Vale a Pena?

livre-se das dívidas e realize seus sonhos

A cada ano aumenta a procura por investimento em previdência privada por parcela maior da população.

Muitos ainda não avaliam se realmente é um investimento atrativo e utilizam este recurso mais para criar hábitos de investimento.

Mas será que a previdência privada vale a pena?

Previdência Privada

A Previdência privada surgiu como alternativa para complementar a aposentadoria pelo INSS regida pelo Ministério da Previdência Social.

Os planos de previdência privada oferecidos pelas instituições financeiras são regulamentados pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

Pode-se afirmar que no caso do INSS a contribuição é obrigatória, a exceção do caso dos facultativos que os regulamentos da previdência regem, mas somente terá direito ao benefício aquele que cumprir os requisitos mínimos estabelecidos, os quais poderão ter a incidência ou não do fator previdenciário.

Então, isso significa que se você receber algum rendimento, deverá recolher a contribuição do INSS, não há como realizar alguma escolha nesse caso.

Leia: Novas Regras para Aposentadoria.

Em contrapartida, a previdência complementar oferece uma certa liberdade para realizar a contribuição no valor que definir ou de acordo com o benefício que deseja receber futuramente.

Trata-se de um investimento a longo prazo e caso deseje resgatar o valor aplicado antes do prazo combinado, receberá um valor menor devido a essa antecipação.

Você também pode optar por não ter um plano de previdência privada por achar outras opções de investimentos mais interessantes, ou seja, não há obrigatoriedade como o INSS.

Tipos de Previdência Privada

previdência privada vale a pena

Os dois tipos de planos de previdência privada mais conhecidos são VGBL e PGBL.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

A principal diferença entre estas modalidades é que no PGBL há possibilidade de deduzir as contribuições realizadas em até 12% a sua renda anual tributada pelo IR.

Isto significa que aumentará o valor a ser ressarcido ou diminuirá o valor que irá pagar de imposto de renda.

Mas cuidado! Se optar pelo PGBL e decidir declarar o Imposto de Renda da forma simplificada, não estará abatendo o IR deste plano neste momento.

Neste caso, terá que pagar um imposto de renda maior no final do plano e estará pagando em cima do valor total (contribuições + rendimentos acumulados).

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

Esta modalidade não há possibilidade de se beneficiar da dedução no IR e normalmente é utilizada se você desejar aplicar valores acima dos 12% deduzidos no IR para o caso do PGBL.

É utilizado por quem declara IR no modo simplificado, quem é isento de IR ou até mesmo por quem não é contribuinte da previdência social.

A vantagem desta modalidade é que embora não haja possibilidade de se beneficiar do IR, este incidirá somente no final do prazo e sobre o valor do rendimento acumulado.

Tributação Regressiva ou Progressiva

Além das modalidades VGBL e PGBL, você ainda deverá optar pela forma de tributação se será regressiva ou progressiva.

Na tributação regressiva quanto mais tempo o dinheiro permanecer aplicado, menor a alíquota de IR que irá pagar.

Na tributação progressiva há incidência de IR semelhante a aplicada no salário mensal. No site do Brasilprev encontrará informações detalhadas sobre esses tipos de tributação.

Previdência Privada vale a pena?

Há casos raros em que previdência privada vale a pena como por exemplo quando a empresa paga mensalmente o dobro do que você contribui.

Este caso da parceira empresa, patrão, mesmo com rentabilidades líquidas menores, há a vantagem da contribuição da empresa que incentiva a tomada desta decisão.

Se você não tem familiaridade com outros tipos de investimentos com retornos mais interessantes como o tesouro direto, analise também a sua idade que pode ser um fator que ocasione uma perda maior, pois idades acima de 60 anos, dependendo do tipo de tributação que escolher poderá pagar uma alíquota bem alta no plano de previdência privada.

Atenção! Cuidado com a armadilha da taxa de administração dos planos de previdência privada, pois normalmente é o fator que pesa na tomada de decisão por esse tipo de investimento.

Normalmente as taxas de administração são mais elevadas que outros investimentos no mercado. Procure por taxas de até 1,5% ao ano.

As taxas mais atrativas são geralmente oferecidas para os altos investidores e neste caso, para esse perfil, pode ser interessante.

Tenha cuidado também com a taxa de carregamento, pois se a taxa cobrada for de 1,5% ou 1% e resolver aplicar R$ 100,00 por mês, na realidade estará aplicando somente R$ 99,00 ou R$ 98,50.

Há instituições que não cobram taxas de carregamento e por isso pesquise aquela que oferecer os melhores benefícios.

Você considera a previdência privada um investimento interessante no seu caso? Deixe seus comentários.

Até breve!

Fonte: Imagem Pixabay.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =