Você Poupa Demais? Conheça a Síndrome do Tio Patinhas

livre-se das dívidas e realize seus sonhosVocê já ouviu falar que é comum as pessoas serem de extremos? A famosa expressão: 8 ou 80? Você se considera uma pessoa de extremos? Poupa demais ou gasta demais? Conhece a Síndrome do Tio Patinhas?

Você lembra do desenho animado do Tio Patinhas?  A história se baseia em um homem muito rico, avarento e que anda com uma bengala. Ele mora sozinho em uma mansão e na história está sempre a procura de mais dinheiro e com bandidos a sua volta tentando roubar seu dinheiro.

Há um tempo que se estuda as pessoas que acumulam demais, mais conhecidas com apelidos como sovinas ou mão fechada. Mas o que não se pensa muito é que por trás disso podem existir problemas tão profundos quanto a psicologia do consumo desenfreado.

Isso pode ser uma patologia? Sim, pode. Mas deve-se medir com cuidado, pois muitos dos que são considerados como na síndrome do tio patinhas, podem ser na realidade pessoas que simplesmente estão seguindo tudo o que se recomenda nas finanças pessoais para alcançar a independência financeira o quanto antes.

Mas como medir isso? Como saber se a pessoa poupa demais?

Você poupa demais? Conheça a Síndrome do Tio Patinhas

poupar demais síndrome do tio patinhas

Já conheci pessoas que eram autônomas e tinham muito medo de algo acontecer e, por isso, poupava bastante e estava sempre traçando cenários obscuros do que poderia acontecer em seu futuro e economizando cada vez mais a ponto de não ter tempo ou dinheiro para se divertir. Isso é uma postura saudável?

Então, podemos dizer que há alguns perfis típicos de pessoas que economizam demais e pode se resumir a alguns aspectos psicológicos quase sempre originados do medo de ter dificuldades financeiras no futuro.

Há pessoas que vivem intensamente o hoje e outras que vivem intensamente o futuro e essa explicação caracteriza bem os extremos do tudo ou nada.

Origem do excesso de acumulação de dinheiro

A origem não se sabe ao certo, mas alguns especialistas dizem que normalmente se trata de traumas de infância. Por exemplo, um pai que ficou desempregado durante muitos anos e enfrentou um processo de divórcio ou uma família que enfrentou dificuldades que não tinha o que comer dentro de casa, etc. Neste caso, gerou-se um trauma onde acumular dinheiro para enfrentar possíveis cenários em que a possibilidade de ocorrer o mesmo é extremamente difícil.

As vezes pode até acontecer mesmo este cenário mais obscuro de tanto que a pessoa pensa que isso pode ocorrer, ela pode proporcionar isso de fato.

Se você já leu o livro Os Segredos da Mente Milionária, o autor explica que nossos traumas podem impactar em nosso futuro e podemos nos detonar em vários momentos. Neste caso, podemos nos detonar com a falta de equilíbrio.

Ou seja, se você acredita mesmo que algo ruim pode acontecer, isso pode realmente acontecer, pois sem querer você mesmo poderá agir para se chegar a esta atitude.

Mas como saber se você tem a Síndrome do Tio Patinhas?

O normal é acumular em torno de 10% da renda líquida quando se é jovem (a partir dos 20 anos) e em torno dos 30-40 anos acumular em torno dos 30% todos os meses. Mas há pessoas que são extremamente econômicas e buscam acumular quase tudo o que ganham e para acelerar o processo da independência financeira, não se preocupam em comprar roupas quando já estão ficando gastas e comprometem até mesmo a aparência em visual no ambiente de trabalho para manter o ritmo de acumulação de bens.

Como poupar de maneira equilibrada?

como poupar e como ficar rico

Como poupar ou até mesmo como ficar rico de maneira mais equilibrada? Seguindo os critérios de acumulação acima.

Se você é jovem (tem em torno dos 20 anos), comece a acumular 10% da renda líquida e aumente os percentuais gradativamente ao valor máximo de 30%.

Você conseguirá medir se há algum tipo de excesso ou não sempre avaliando se a postura é equilibrada. Lembre-se que deve sempre reservar uma parte para se divertir e também de uma maneira equilibrada.

Mas acumular de uma maneira equilibrada, também resulta em investimentos equilibrados. Outro ponto muito abordado é ser equilibrado ao investir e seguir a regra dos 70 (expectativa de idade máxima segundo o INSS e você pode adaptar para 75 ou 80 se preferir), onde se você tem 30 anos, você terá 70-30 = 40 e somente poderá investir em renda variável até 40% do que tem acumulado, pois quanto maior a sua idade, pressupõe-se que deverá ser mais avesso ao risco e com isso investindo menos em aplicações de risco mais alto.

A Síndrome do Tio Patinhas pode ser observada também quando a pessoa já acumulou uma quantia necessária e já poderia ter uma vida mais tranquila e está sempre preocupada em acumular mais e com isso a idade passa e o tempo que poderia estar aproveitando mais a vida, esta pessoa fica envolvida em problemas que talvez nunca ocorram ou até mesmo considerando hipóteses de viver muito mais que os 100 anos e as economias acabarem até lá.

Uma coisa é certa, não poderemos sobreviver somente com o INSS, por isso, é fundamental aprender a administrar o dinheiro, mas tudo de uma maneira equilibrada sem exageros para ser algo sustentável e não gerar motivos de futuras doenças, caso não consiga atingir as metas mais rígidas se acumulação tão desejadas.

Por isso, o equilíbrio é a peça fundamental para avaliar se há excessos nessas atitudes e sempre tenha a mente aberta para avaliar o feedback das pessoas porque às vezes podem ser pessoas amigas que estão vendo com mais clareza algo que não está fazendo tanto bem a você.

Você se considera uma pessoa equilibrada ou ainda se considera uma pessoa de extremos, ou seja, normalmente exagera em poupar demais ou gastar demais?

Deixe seus comentários e se gostou compartilhe nas redes sociais!

Até breve!

Fonte: Imagem Pixabay.

2 Comentários


  1. Em outras palavras: não existe um bem sucedido pessimista!

    Apesar da regra de 10% ser um começo, acredito que deva haver uma adaptação pois na fase mais jovem, se ganha menos. Além do fato de que nessa fase a pessoa está mais propensa a gastar e a se endividar. Nos EUA é comum o endividamento universitário.

    A pessoa vai achar o seu modelo ideal, sendo 10, 20, 30 ou qualquer que seja a porcentagem.

    Parabéns pelo artigo Cristiane!

    Responder

    1. Felipe,

      Obrigada pela contribuição. Na realidade cada caso será um caso, mas entende-se que quando é jovem, a maioria ainda mora com os pais e por isso pode guardar uma quantia maior de dinheiro.

      Abraços,

      Cristiane Gouget

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + catorze =